Sociedade União Musical Alenquerense

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
  • Livro
  • 1 Dezembro 2016

Eu e a S.U.M.A. - 20 Dezembro 2016

A música sempre teve grande importância para mim, Sofia, e sem dúvida a SUMA teve uma grande influência.

O meu começo na música foi um pouco “aleatório”. Conhecem a expressão “amigo puxa amigo”? Foi exatamente o que aconteceu. Mas a realidade é que tomei o gosto e há 11 anos que toco clarinete com incontáveis aulas na escola de música com um professor que me levou a crer ser melhor e a elevar a minha técnica, para além disso, um amigo de longa data. Mais tarde pude contar, também, com inúmeros serviços da Banda e da Mini-Banda em que queremos mostrar o bom trabalho feito nos ensaios e o orgulho de pertencer à SUMA.

Ainda hoje, não me esqueço da “Bela Aurora”, a primeira música que 20 miúdos tocaram no seu primeiro ensaio da Mini-Banda ou a primeira vez que ouvi o Fado de Alenquer cantado pelo Dinis no meu primeiro 8 de Dezembro, ou ainda, o grande restaurante da SUMA na Romeira aquando da Feira da Ascensão em que todos, mesmo os mais novos, queríamos ajudar para que tudo funcionasse e tantas outras memórias que me levam para outros tempos, que me deixam nostálgica e feliz ao mesmo tempo, memórias que transportarei sempre comigo e nunca quererei esquecer.

Já eu, Raquel, desde muito pequena fui habituada a ir aos ensaios, concertos e a ouvir a minha irmã a tocar em casa. Por isso, o bichinho da música despertou cedo e logo quis pertencer a este mundo da música, assim, com sete anos comecei a ter aulas de solfejo. Mais tarde fui para a flauta, mas foi com o clarinete que prossegui na música, e por coincidência ou não, fui parar às aulas com o mesmo professor da minha irmã, tocávamos juntas e fizemos varias audições em dueto nas festas da Mini-Banda.

Em 2011, entrei para a Mini-Banda e no dia 1 de dezembro do mesmo ano, ingressei na “banda dos grandes”. Foi ao vestir a farda que me apercebi do quanto me orgulho de fazer parte desta grande Banda. Passados 5 anos, integro também o Ensemble de Sopros da SUMA.

Para além do gosto pela música, um dos fatores muito importantes para um músico desta coletividade são as amizades e o companheirismo sentido pelos corredores da SUMA. As brincadeiras, as conversas prolongadas, a entreajuda ou a interação intergeracional são essenciais para o bom funcionamento desta banda. São estas as razões pelas quais nos sentimos bem e felizes em fazer parte desta grande família.

Sofia Inácio  e Raquel Inácio

(Clarinetistas)

Voce Esta: Crónicas Eu e a S.U.M.A. - 20 Dezembro 2016